Produtividade

Como melhorar sua produtividade: controle seu acesso ao celular

De todos os produtos desenvolvidos no final do século XX, provavelmente o celular foi o que mais mudou a vida das pessoas.

O celular alterou a nossa realidade, a forma como nos comunicamos e interagimos com o mundo, trazendo um extremo poder de computacional para nosso bolso que antes só podíamos ter em notebooks de ponta.
Música, fotografia, relógio preciso, agenda, etc tudo o mais é provido por esses maravilhosos aparelhinhos compactos. Provavelmente você está com o seu agora, em suas mãos, na sua bolsa ou no bolso de suas vestimentas.

A versão mais inteligente do celular, os Smartphones, são quase uma extensão de nossa mente, um terminal remoto de nossos pensamentos que nos ajuda a organizar a nossa vida e a dividir nosso tempo para atingir a máxima produtividade, tanto é que o aparelho de uma pessoa depois de customizado com aplicativos, atalhos e funcionalidades,  dificilmente vai fazer outra pessoa alcançar os mesmos resultados.

Mas, da mesma forma que uma arma nas mãos de um policial representa a ferramenta de cumprimento das leis e nas mãos de uma pessoa não qualificada pode ser mortal e perigosa, um celular nas mãos de uma pessoa que não sabe utilizá-lo passa de uma ferramenta de organização e produtividade para um buraco negro de procrastinação, uma distração que consumirá todo o tempo, fazendo ela perder vida, o maior ativo que uma pessoa pode possuir e que não pode ser comprado.

Por que o Celular é tão perigoso?

Porque ele exerce uma forte atração à sua mente. Dezenas de aplicativos instalados concorrem uns com os outros pela sua atenção, em forma de sinais sonoros e famigeradas notificações.

Não tem jeito, por mais focado que você esteja, quando chega uma notificação ou quando a tela acende indicando que algum programa quer sua atenção, isso tira o seu foco.

Sempre pensamos erroneamente que o ser humano consegue fazer muitas coisas ao mesmo tempo. Na verdade, quando você tem muitas tarefas sendo executadas, você está na verdade alternando o seu foco entre elas e isso reduz sua capacidade cognitiva. Te garanto que  se você, ao invés de juntar 3 ou 4 tarefas para fazer simultaneamente, direcionasse o seu foco em apenas uma de cadas vez, você a faria muito mais rápido, com muito mais intensidade e teria menos possibilidade de cometer um erro, já que sua mente além de raciocinar somente com a resolução DAQUELE PROBLEMA ainda estaria pensando nas diversas possibilidades de falha que porventura poderiam acontecer.

O ser humano só é efetivamente multitarefa quando as tarefas forem primárias, ou seja,  que sejam executadas exclusivamente pelo nosso cérebro reptiliano. Exemplo de tarefas primárias que o corpo consegue executar simultaneamente: respirar, escovar os dentes e procurar defeitos em sua aparência no espelho; dirigir, conversar, ouvir o rádio e ajustar o retrovisor; digitar no computador, ver os dados na tela do monitor, falar com o cliente e chupar uma bala de menta (nos próximos artigos lhe direi como fazer para que as suas tarefas do dia-a-dia passem a ser primárias para seu cérebro, não percam).

Em tarefas intelectuais, é complicado de você se focar se continuar a ser interrompido várias vezes por minuto. Mesmo que você não olhe o teor da mensagem só o ato de mudar sua atenção vai lhe tirar de um estado de fluxo. Para você voltar àquele ponto que foi interrompido bruscamente vai demorar um certo tempo e quando você estiver quase lá, provavelmente chegará outra mensagem e recomeçará o ciclo da distração. No fim do turno só restará aquela sensação de que o dia passou e você não fez absolutamente nada de produtivo.

Como mudar esse quadro?

No momento em que você precisar trabalhar,  o mais sensato é deixar o celular na mochila, bolsa ou na mesa afastado das mãos com a tela virada para baixo e com as notificações  e vibração desligadas.

A hora de consultar seus e-mails, recados e notificações tem que ser escolhida por você! Não permita em hipótese alguma que as notificações de seu aparelho direcione a sua atenção pois assim você está permitindo que outras pessoas escolheram a sua agenda.

Deixe as notificações importantes ligadas (como no caso da caixa de entrada de vendas de uma empresa que negocia veículos, ou as notificações de pacientes críticos nos celulares dos profissionais de saúde, etc), mas nesse caso, combine com as pessoas que terão esse privilégio sobre você que esse meio só deve ser usado em caso de emergência, pois você não estará nesse canal 24 horas por dia.

Nada que ocorra no seu mundo pode justificar você estar 100% do tempo disponível para os outros, em tempo real. Por mais dolorosa que seja a notícia, não há muita coisa o que fazer que não possa esperar 30 minutos até você terminar as tarefas que são importantes para você.

Meu celular por exemplo, fica no silencioso grande parte do dia, e nos momentos que tenho que estar em estado de fluxo (focado em um projeto) fica dentro da mochila. Só direciono para meu Smartwatch as notificações de família e caixas postais que tenho que estar atento em tempo real durante o meu expediente.

Parece coisa pequena, mas essa política de “distração zero” mudará consideravelmente o seu dia-a-dia.


Fonte de pesquisas:

Imagens: Pixabay

Etiquetas

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar
%d blogueiros gostam disto: